dicas de como gerir seu condomínio
Otima Condominios Nenhum comentário

Como o síndico e a administradora podem criar uma gestão que os condôminos aprovam.

Cuidar de um condomínio, mesmo que ele não tenha tantas famílias, é uma tarefa que deixa os síndicos e mesmo as administradoras sobrecarregadas. Afinal, são variados aspectos para que todas as famílias desse condomínio possam ter tranquilidade. Assim, devem-se ver os 6 passos para manter em dia a gestão do seu condomínio.

1) Existe administradora?

Os condomínios que ainda não adotaram uma administradora estão atrasados, pois esse é um excelente jeito de se realizar uma boa gestão e com tranquilidade. Os benefícios de colocar uma administradora para orientar a gestão do condomínio são vários, incluindo o fato de que ela é profissional e compreende os aspectos legais, impedindo que o condomínio realize qualquer reforma, por exemplo, ou outra coisa que possa prejudicá-lo.

2) Diminuir a inadimplência

Todos os condomínios necessitam de uma verba e essa verba, é claro, fica bastante prejudicada quando a inadimplência é grande. Dessa forma, a indicação para que a gestão do condomínio fique em dia é que a administradora não somente cobre aqueles condôminos que têm atraso, mas que ofereçam alguma oportunidade para que eles consigam fazer uma negociação.

São vários os condôminos que desejam, sim, quitar o seu condomínio, mas que estão impossibilitados, pelo menos de quitar todo o valor que a administradora está solicitando. A intermediação da administradora, que atua com imparcialidade, buscando sempre eficiência, poderá proporcionar meios legais para recebimento da dívida, favorecendo as finanças do condomínio.

3) Reformas

É natural que os condomínios necessitem de reformas, especialmente aqueles condomínios que já possuem muitos anos. Assim, o síndico precisa compreender quais são as reformas necessárias e, existindo uma administradora, conversar com ela. Também é fundamental que o síndico observe quais são as reformas prioritárias, por exemplo, se existe uma caixa d’água com defeito, mas a pintura também está ruim e a verba é pouca, é claro que a administradora deverá optar pela caixa d’água. Contudo, vale dizer que preservar a aparência do condomínio também conta.

4) Realizar reuniões

As conhecidas reuniões que ocorrem nos condomínios precisam, realmente, acontecer. Afinal, é com essas reuniões que os síndicos conseguem ouvir os condôminos e também repassar a eles o que a administradora fala. Por isso, mesmo que alguns condôminos não apareçam, essas reuniões devem ocorrer com o espaço de, aproximadamente, dois meses, podendo acontecer antes se existir alguma questão urgente.

Para que os condôminos fiquem interessados em estar nessas reuniões, é vital que o síndico pense em caminhos para chamá-los. Um exemplo: por que não realizar uma pequena confraternização quando essas reuniões ocorrerem? Pode-se solicitar que eles levem algum alimento ou o próprio condomínio pode adquirir algumas guloseimas para que essa hora, em que se fala de questões inconvenientes, às vezes, seja mais leve.

5) Terceirização

Usar a terceirização é um jeito de a gestão do condomínio ficar em dia, já que todas as funções possuirão colaboradores; existirá a certeza de que, independente do que ocorra com o colaborador, o condomínio terá o trabalho. Assim, para que um condomínio tenha uma gestão satisfatória, é importante que o síndico e a administradora procurem uma companhia de terceirização idônea, que possa trazer tranquilidade para todos os moradores.

6) Ser acessível

É natural que os condôminos precisem de alguma orientação ou que necessitem de esclarecer algo, ou mesmo que insatisfeitos, reclamem. Na realidade, não importa: o síndico e a administradora de condomínios precisam ser acessíveis. Normalmente, é o síndico quem precisa ouvir pessoalmente todas as reclamações e passar à administradora. No entanto, sendo uma dúvida financeira ou legal, o condômino pode buscar diretamente a administradora e é vital que ela o atenda.

Uma gestão é considerada péssima quando o morador se sente sozinho, ou seja, quando ele nunca é atendido pelo síndico ou quando é quase impossível ter atendimento na administradora. Por isso, esse contato entre os moradores e quem faz a gestão do condomínio é vital.

Aliás, tratando de acessibilidade, também é muito indicado que o síndico e a administradora considerem a realização de rampas e de sinalização tátil para aqueles que não veem. Assim, essa gestão do condomínio será relembrada como uma que teve respeito aos moradores que possuíam necessidades diferenciadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − cinco =